Como escolher gravata

Como escolher gravata

gravata é uma tira de tecido, estreita e longa, que se usa em torno do pescoço e que é presa por um laço ou nó na parte da frente. Peça predominantemente do vestuário masculino.

O termo “gravata” deriva do francês “cravate”, que por sua vez é uma corruptela de “croat”, em referência aos mercenários croatas, que primeiro apresentaram a indumentária à sociedade parisiense.

Mais do que um acessório, a gravata é, hoje, um item obrigatório no guarda-roupa masculino e imprescindível em ocasiões que exigem mais formalidade. Símbolo de elegância, dignidade, respeito e até status, não são poucos os homens que não se permitem sair sem a gravata, principalmente quando se trata de ambiente profissional, ainda que a mesma não seja obrigatória.

Mas é preciso cuidado! Essa peça do vestuário, apesar de pequena, pode mudar completamente o visual masculino… Para melhor ou… para pior. Saber combiná-la é essencial e é preciso, antes de mais nada, senso estético e discernimento. É possível até acrescentar personalidade ao look, dando humor e um toque de excentricidade à peça, mas deve-se tomar os devidos cuidados quanto aos exageros e quanto à ocasião em que o acessório mais criativo será utilizado.

E vamos à primeira lição: a ponta da gravata deve ficar na altura da fivela do cinto. Assim, o homem fica mais elegante e não corre o risco de parecer mais alto ou mais baixo.

Os tecidos mais usados na confecção são o poliéster e a seda, sendo a última mais indicada para os dias mais quentes. Uma observação: se a gravata for de boa qualidade, ela ficará estendida após a feitura do nó.

O homem deve se lembrar de combinar a gravata com seu biotipo. Homens de pele e cabelo claros devem usar peças de cor clara. Já os homens de pele clara e cabelo escuro, gravatas coloridas.

Em relação à combinação gravata x camisa, as principais dicas são: não é necessário, nem é comum, usar a gravata no mesmo tom da camisa. As camisas claras permitem mais escolhas. Ficam bons quase todos os tons e desenhos, desde que um pouco mais escuros do que elas. As camisas azuis aceitam qualquer combinação, sendo que tons de verde, castanho, acinzentados e bordô ficam muito bem. Com camisas cinzas, o ideal é usar gravatas mais escuras do que a camisa. Tom sobre tom, vermelho escuro, preto, azul-marinho, azulados, entre outros, são muito bem aceitos. E por serem de tonalidade bastante neutra, cores vivas, como violeta, tangerina e mostarda, em desenhos ou tramas, também ficam bem. A camisa bege pede gravatas em tonalidades próximas, estampadas ou lisas, com tons de azul, rosado e verde. A camisa escura pede gravatas também escuras (preto, marinho ou marrom), lisas ou com textura. As camisas coloridas pedem cuidado especial, sendo ideal combiná-las com cinza ou preto, por serem cores neutras, ou com gravatas lisas, no tom da peça de baixo. Por último, as camisas estampadas – xadrez, listras ou pequenos desenhos – podem ser usadas em ocasiões menos formais, com gravatas repetindo as cores da estampa ou contrastando discretamente.

E quais os cuidados básicos para cuidar e guardar as gravatas? Elas não devem ser lavadas. Caso manchem, usar um papel ou pano úmido para retirar a mancha e usar um secador para retirar a umidade. Para guardá-la, deixá-la esticada. E o modo correto de passá-la é usar um pano entre o ferro e gravata, assim não se corre o risco de danificá-la.

Clique aqui para voltar a página inicial.